Perguntas Frequentes

Respondemos algumas perguntas sobre o Programa Minha Casa Minha Vida e sobre a Meucanto.

É uma iniciativa do Governo Federal que oferece condições atrativas para o financiamento de moradias nas áreas urbanas para famílias com renda familiar bruta de até R$ 7.000,00 por mês. Em parceria com estados, municípios, empresas e entidades sem fins lucrativos, o programa vem mudando a vida de milhares de famílias brasileiras. É oportunidade para quem precisa, bem como promove desenvolvimento para o Brasil.

Você pode adquirir um imóvel novo ou ainda em construção.

NÃO. O programa Minha Casa Minha Vida é uma iniciativa do Governo Federal mas a responsabilidade do cadastramento e análise de adequação ao programa é da iniciativa privada.

Não. Quem escolhe o programa, pode fazê-lo apenas uma vez.

Famílias com renda mensal até R$ 7 mil podem se inscrever no programa para análise de parcelamento com taxas exclusivas do Minha Casa Minha Vida e obter um imóvel do programa. O programa tem apoio da iniciativa privada.

Famílias com renda de até R$ 1.800,00:

Faixa 1 – A Caixa oferece várias vantagens para a sua família. Conte com prestações mensais que variam de R$ 80,00 a R$ 270,00, conforme a renda bruta familiar. O valor da prestação é analisado após a entrega da documentação.

Famílias com renda de até R$ 2.600,00:

Faixa 1,5: Você pode adquirir um imóvel cujo empreendimento é financiado pela Caixa com taxas de juros de apenas 5% ao ano e até 30 anos para pagar e subsídios de até 47,5 mil reais.

Famílias com renda de até R$ 4.000,00:

FAIXA 2: Se sua família tem renda bruta de até R$ 4.000,00, você se encaixa nesta faixa do Programa Minha Casa Minha Vida e pode ter subsídios de até R$ 29.000,00.

Famílias com renda de até R$ 7.000,00:

FAIXA 3: Para famílias com renda bruta de até R$ 7.000,00​​, o Programa Minha Casa Minha Vida oferece taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado para você conquistar uma casa própria.

Sim. É possível utilizar o FGTS se adquirir o imóvel sozinho ou compondo renda.

Ao compor renda, é possível utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço de cada um dos compradores. O FGTS pode ser usado para quitar parcelas ou para dar entrada no imóvel.

A cada 2 anos você pode utilizar novamente o seu FGTS para amortizar o valor restante a pagar.

Sim e isso é MUITO IMPORTANTE. Se utilizado um valor que estiver disponível em conta a quantidade de parcelas pagas será menor, assim como reduzirá o valor da sua parcela.

Não. As parcelas calculadas pelo sistema fazem parte de uma análise minuciosa da sua capacidade de pagamento.

Mas as parcelas vão reduzindo o valor com o tempo e o seu salário tendo reajustes (consultar a sua convenção coletiva. Os serventes da construção civil em 2019 tiveram um aumento de 4,4% no salário e os vigilantes 3,7%). Próximo ao final do parcelamento as parcelas não terão tanto peso no seu orçamento familiar.

Também pode, mas somente se você estiver casado no regime da separação total de bens. Mesmo assim, utiliza-se a renda bruta familiar para cálculo da capacidade de pagamento. Se você não for casado em cartório não será utilizada a renda da sua companheira.

Sim. É possível compor renda.

Contanto que estejam morando sob o mesmo teto a renda pode ser composta por:

  • Cônjuges, namorados ou casais;
  • Enteado, padrasto e madrasta;
  • Pais, sogros e filhos;
  • Irmãos e amigos;
  • Tios e primos.

Não há limite de pessoas para fazer a composição de renda.

Não. Desconfie de quem pedir qualquer valor de sinal ou antecipação, pois pode ser um golpe.

Sim, mas somente se você tiver um ano ou mais de residência na cidade ou desde que seja uma cidade nas redondezas da cidade onde você mora. Caso queira comprar um imóvel na cidade onde trabalha, você também pode financiá-lo pelo programa, mas precisará comprovar o local do seu emprego. Para isso, apresente a sua carteira de trabalho ou as notas emitidas, caso seja autônomo.